Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A REMODELAÇÃO MINISTERIAL

por oligofrénico, em 29.01.08

Correia de Campos e Isabel Pires de Lima foram substituídos.

Nas palavras do primeiro-ministro, estavam a trabalhar muito bem e eram pessoas muito competentes. Mereciam a sua inteira confiança.

Eram tão bons e competentes (até ontem, pelo menos), que foram postos a andar!

É assim a nossa política: mentira atrás de mentira.

Acho que nós merecemos. Pela nossa passividade.

M. Pinto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:28

A RTP E O PRIMEIRO-MINISTRO A SER APUPADO

por oligofrénico, em 29.01.08

José Sócrates no Porto. Numa cerimónia qualquer.

Alguns manifestantes a apuparem-no. Ouvi na TSF e li em vários jornais nacionais.

Como era de esperar, o primeiro-ministro, em resposta a um jornalista, desvalorizou e disse que era a CGTP.

O mais interessante de tudo isto foi a reportagem da RTP-1 . Como se nada tivesse passado. Nem som, nem imagens dos manifestantes. Porquê?

Porque estão bem instruídos.

M. Pinto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:13

OPUS DEI, MAÇONARIA E OUTRAS SEITAS

por oligofrénico, em 26.01.08

As recentes confusões no BCP ,  revelaram o verdadeiro perfil moral e ético dos membros da maçonaria e da opus dei.

Está mais que provado: quando toca ao vil metal, lá se vai a espiritualidade.

Quando Paulo Teixeira Pinto, Jorge Jardim e Filipe Pinhal, estão a rezar. Sim que eles rezam. O que estarão a pedir a Deus?

Se for aquilo que estou a pensar. Deus ouviu as suas preces.

Deus gosta de pessoas bem educadas, bem vestidas, que não falam alto, nem frequentam tascas, que fazem a barba todos os dias, que são inteligentes, que não dizem o que pensam, nem dizem mal dos outros.

Só com alcatrão e penas!!!

 

 

M. Pinto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:36

A PORCA DA POLÍTICA

por oligofrénico, em 19.01.08

A propósito da crise do BCP e da intervenção do Banco de Portugal, Vítor Constâncio foi prestar declarações à Assembleia da República.

Fez o que tinha a fazer. E bem. Na minha perspectiva.

Na sequência da intervenção do Governador do Banco de Portugal, toda a oposição, sem excepção, teceram fortes críticas, perfeitamente infundadas e que incidiam sobre tudo, excepto sobre aquilo que se estava a tratar.

A postura do costume: o governador tinha que ser atacado, tivesse ou não razão: grande pobreza espiritual e intelectual! Acho que, em Portugal, a esta postura se chama política.

Estamos entregues à bicharada!

Diogo Feio do CDS, com as tais perguntas à Paulo Portas, a querer colocar questões incómodas, que já haviam sido respondidas. E esquecendo-se que tem as contas dos seu partido sobre fortes suspeitas de irregularidade. Que o diga o Jacinto Leite Capelo Rego.

Patinha Antão, do PSD, a misturar alhos com bugalhos, com uma retórica pernóstica e com grande rigidez mental, a debitar as frases do costume. Aquelas que servem para qualquer debate, sobre qualquer coisa.

Honório Novo, do PCP, não trouxe nada de novo. Os lugares comuns do costume.

Louçã, do BE , a falar do filho de Jorge Jardim e do perdão de dívidas a clientes do BCP . Com razão, mas perfeitamente deslocado da temática do debate.

Por este andar, Sócrates vai eternizar-se no poder.

M. Pinto

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:33

A AUTO-AVALIAÇÃO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

por oligofrénico, em 14.01.08

O ministério fez auto-avaliação ao seu trabalho:

Fizeram o que havia a fazer.

Um trabalho magnífico.

Só medidas de sucesso.

Tudo a correr sobre esferas.

Tudo satisfeito.

Digo eu:

Um momento óptimo para saírem...

na mó de cima.

M. Pinto

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:16

TRATADOS, AEROPORTOS E OLIGOFRÉNICOS

por oligofrénico, em 11.01.08

Não ao referendo.

Um tratado constitucional é diferente de um tratado de Lisboa . Maldita semântica.!

Claro. Só os oligofrénicos é que não entendem.

Por isso. Adeus promessas.

Ota. A melhor localização. De sempre.

Agora é Alcochete .

É mais barato. É mais seguro. É mais quase tudo.

Claro. Só os oligofrénicos é que não percebem.

Ainda bem que alguém contestou. Senão, era mais um barrete.

Dos muitos que nos andam a enfiar.

De incompetência em incompetência.

De incongruência em incongruência.

De inverdade em inverdade.

Assim nos vai o governo enganando.

Não é por maldade. Melhor seria.

É por pura incompetência e arrogância.

Haja humildade.

M. Pinto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:31

URBANISMO: UMA GRANDE FONTE DE RENDIMENTO

por oligofrénico, em 06.01.08

Os políticos mais ingénuos.

A comunicação social mais ingénua.

Os cidadãos mais ingénuos.

A sociedade civil mais ingénua.

Ficaram muito admirados com o que se estava a passar no "urbanismo" da CML.

A fazer fé numa sindicância. Pedida pelo Carmona - outro ingénuo.

A rapaziada, do dito "urbanismo", tratava-se bem. Há milhares de anos acrescento eu.

Quem não é ingénuo. Como eu. E mais alguns maduros.

Sabe que.

Um dos tachos mais ambicionados deste país é o "urbanismo" autárquico: arquitectos, engenheiros e fiscais: chamam-lhe um figo!

Sempre foi assim. E vai continuar a ser por muitos e longos anos.

Os não ingénuos sabem que.

Uma teia muito complexa de interesses, foi sendo construída ao longo dos anos.

Ninguém sabia ou desconfiava! Nem havia recibos verdes!

 E desmantelá-la. Vai chocar com demasiados interesses. Instalados. Ao mais alto nível.

Por isso. A teia vai continuar a aumentar. Devagarinho.

Operações de cosmética sempre impressionaram o "zé povinho"!

E calham bem nesta quadra!

M. Pinto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:05

"BERARDO AND FRIENDS"

por oligofrénico, em 05.01.08

A Caixa Geral de Depósitos, uma instituição bancária conservadora, com grandes problemas de funcionamento, essencialmente ao nível do atendimento do público, empresta dinheiro para as pessoas comprarem acções.

O que é legal. Aliás, em Portugal não se faz nada ilegal.

O problema é que ninguém sabia. Eu próprio me teria candidatado a esse tipo de empréstimo. Se soubesse.

Ninguém sabia é como quem diz. O Grande Berardo. Uma jóia de moço aliás. Esperto como o Sousa Cintra, lá descobriu com os amigos, também bastante necessitados, uma forma de jogar na bolsa sem aplicar o seu dinheiro.

Ou fazer avultados investimentos. Que doutra forma não poderiam fazer. Sem risco absolutamente nenhum.

Sem risco. Porque no mundo da bolsa, há muitas "fugas" de informação.

Só para alguns.

Para a CGD isto é uma situação normal.

Para o Governo isto é uma situação normal.

Para o Banco de Portugal isto é uma situação normal.

Para o cidadão comum é uma vergonha: milhões de portugueses depositam as suas poupanças na CGD, para os grandes especuladores fazerem os seus investimentos, com a maior desfaçatez. Sem tocarem nos "seus" milhões. Provavelmente guardados na Suíça.

Não poderia a CGD ter uma vocação mais social?

E não poderia o "Berardo and friends" , mais a sua colecção, mais uma série de gestores bancários, emigrarem definitivamente?

M. Pinto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:41


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

subscrever feeds