Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



DOIS MIL ADMINISTRADORES DE EMPRESAS MUNICIPAIS

por oligofrénico, em 30.04.10

"Mais de metade das empresas municipais teve resultados operacionais negativos e 40% registou prejuízos, acabando por agravar as contas dos municípios. Um desempenho que fez José Junqueiro sugerir o estudo e eventual reformulação destas empresas.

O Sector Empresarial Local e as 219 empresas municipais que o integram apresentaram um prejuízo global de 13,9 milhões de euros em 2008. O retrato que o Anuário Financeiro dos Municípios/2008, ontem divulgado, faz às contas destas empresas mostra que as mais rentáveis são as que gerem os sectores da água e saneamento, enquanto as mais deficitárias são as dos transportes, desporto ou turismo. E até as 15 empresas municipais que têm por missão fazer consultoria para os negócios tiveram prejuízos de 215 mil euros.

Juntando a estas 219 unidades os 30 serviços municipalizados analisados, conclui-se que 99 tiveram prejuízos e 137 apresentaram resultados operacionais negativos. Todos juntos têm uma dívida que ascende aos mil milhões de euros.

Estes resultados e o número de empresas municipais levou ontem um dos autores do Anuário, João Carvalho, a questionar se o país realmente necessitará de 219 destas empresas e se alguns dos serviços que prestam não deveriam integrar-se nos municípios.

(...)José Junqueiro considerou ainda excessivo o número de administradores (cerca de dois mil) que estas empresas têm." (JN online)

 

 

2000 ADMINISTRADORES X 14 MESES DE ORDENADO X 4000 Euros mês (?)=  112 000 000 Euros.

Sem comentários.

 

M. Pinto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:50

"TOMA LÁ CINCO"

por oligofrénico, em 28.04.10
Encolhes os ombros, mas o tempo passa...
Ai, afinal, rapaz, o tempo passa!

Um dente que estava são e agora não,
Um cabelo que ainda ontem preto era,
Dentro do peito um outro, sempre mais velho coração,
E na cara uma ruga que não espera, que não espera..

No andar de cima, uma nova criança
Vai bater no teu crânio os pequeninos pés.
Mas deixa lá, rapaz, tem esperança:
Este ano talvez venhas a ser o que não és...

Talvez sejas de enredos fácil presa,
Eterno marido, amante de um só dia...
Com clorofila ficam os teus dentes que é uma beleza!
Mas não rias, rapaz, que o ano só agora principia...

 

Talvez lances de amor um foguetão sincero
Para algum coração a milhões de anos-dor
Ou desesperado te resolvas por um mero
Tiro na boca, mas de alcance maior...

 

Grande asneira, rapaz, grande asneira seria
Errar a vida e não errar a pontaria...
Talvez te deixes por uma vez de fitas,
De versos de mau hálito e mau sestro,
E acalmes nas feias o ardor pelas bonitas
(Como mulheres são mais fiéis, de resto...)

 

Alexandre O' Neill

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:34

NINGUÉM ACREDITA EM NINGUÉM

por oligofrénico, em 28.04.10

"Um progresso absolutamente extraordinário", foi assim que José Sócrates classificou, há um ano, a redução do número de faltas dos alunos, agora desmentida pelo Governo." (PÚBLICO online)

 

Enganam-nos nas pequenas coisas.

Fará noutras.

É a descredibilidade total.

Que se aguentem sozinhos.

Na crise.

 

M. Pinto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22

SEM LUZ AO FUNDO DO TÚNEL

por oligofrénico, em 27.04.10

 "Hoje, o jornal popular Bild interrogava na sua primeira página: “Porque é que pagamos aos gregos as suas reformas de luxo?”, considerando que o regresso da Grécia ao dracma (a sua antiga moeda) seria o melhor para o euro."

 

"Maioria dos gregos não quer ajuda externa e os alemães também não querem ajudar."

 

Carlos Barbosa, antigo presidente da PT Meios, afirmou hoje que Rui Pedro Soares teve uma “ascensão meteórica” na Portugal Telecom (PT), algo que “não era normal” na empresa, sobretudo tratando-se de alguém sem “um passado de gestão” e sem “experiência profissional”.

 

"Alguns dos sete gestores portugueses acusados de falsificação de documentos e burla qualificada começam hoje a ser ouvidos pelo juiz de instrução criminal no início desta fase processual no caso das contrapartidas dos submarinos comprados pelo Estado português a um consórcio alemão."

 

"A Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) vai propor ao Governo que o subsídio de desemprego não tenha qualquer limite mínimo. O objectivo da medida, que promete gerar polémica, é evitar que alguém possa ganhar mais estando no desemprego do que a trabalhar."

 

"Manuela Ferreira Leite reitera que teve a “certeza absoluta” de que o primeiro-ministro “não estava a falar a verdade” no Parlamento, quando disse desconhecer o negócio PT/TVI, porque, de outra forma, teriam existido “consequências”."

 

"Nos comboios da CP a adesão à greve é grande e a própria empresa admite que os serviços mínimos não vão ser assegurados. Já nos autocarros, nomeadamente na Carris e nos STCP, que garantem os transportes em Lisboa e no Porto respectivamente, a adesão parece ser muito menos significativa. O trânsito esse ressentiu-se, essencialmente na entrada das cidades. Mas não está caótico."

 

"O contrato da transferência do futebolista Scott Minto para o West Ham foi alegadamente forjado por Vale e Azevedo, para que o então presidente do Benfica pudesse liquidar a terceira prestação do iate 'Lucky Me', no valor de meio milhão de libras"

 

"O banco Goldman Sachs preparou um plano para tirar lucros da crise imobiliária e recolheu grandes dividendos à custa dos seus clientes, revelou uma investigação de um subcomité do Senado norte-americano hoje divulgada.

(...)O banco enfrenta acusações por parte da SEC, entidade reguladora norte-americana do sector, que iniciou um processo contra a empresa por fraude, alegando que esta enganou os seus clientes ao vender-lhes títulos de hipotecas sabendo que eram de alto risco e que acabariam por não ser pagos."

 

Recolha online de M. Pinto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:57

A PROPÓSITO DO DOMINGOS NÉVOA E DA NOSSA JUSTIÇA

por oligofrénico, em 25.04.10

"Foi precisamente assim que Platão abandonou o mundo dos sentidos porque esse mundo opunha ao entendimento limites tão estreitos e, nas asas das ideias, abalançou-se no espaço vazio do entendimento puro." Kant I.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:02

MAIS VALIA(S) ESTAR QUIETO

por oligofrénico, em 23.04.10

"O diploma aprovado ontem em Conselho de Ministros agrava a tributação das mais-valias mobiliárias, mas mantém as actuais isenções aos contribuintes não-residentes em Portugal e das cúpulas dos grupos económicos, por onde passa parte significativa desses rendimentos." (PÚBLICO online)

 

Sempre os mesmos a pagar a factura.

Como será nos outros países civilizados?

 

M. Pinto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:15

COM GESTORES DESTES NÃO VAMOS A LADO NENHUM

por oligofrénico, em 20.04.10

"Não nos podemos esquecer que os nossos filhos são educados na perspectiva do sucesso."

Disse um administrador da ZON.

A propósito da questão dos salários e reformas milionárias, recebidos pelos gestores públicos e privados.

Significa isto, que se algum daqueles meninos chegar ao estado adulto, sem receber uma boa maquia mensal,

pode entrar em depressão ou ficar zangado.

E nós não queremos em Portugal, filhos de gestores aborrecidos ou deprimidos, não é?

É a chamada lógica da batata!

 

M. Pinto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:36

O RECOMEÇO

por oligofrénico, em 19.04.10

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:33

VIAJAR DE CARRO EM PORTUGAL - I

por oligofrénico, em 19.04.10

O túnel de Montemor na CREL, está (quase) sempre com uma iluminação paupérrima.

A qualquer hora do dia.

Para poupar uns euros, presumo.

E presumo também que, quando por lá passa alguma entidade oficial, as luzes se acendam no seu  máximo esplendor.

É assim agora e assim foi no tempo da outra senhora.

 

M. Pinto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:57

A GESTÃO DA EPUL

por oligofrénico, em 19.04.10

"São 10,4 milhões de euros necessários ao equilíbrio financeiro da imobiliária municipal, que fechou as contas de 2009 em situação de falência técnica pelo terceiro ano consecutivo, e sem conseguir iniciar a construção dos 151 apartamentos que se tinha proposto. Já no final do ano passado a autarquia tinha perdoado à EPUL uma dívida de 9,5 milhões, de forma a que a empresa pudesse encerrar o ano com resultados líquidos positivos." (PÚBLICO online)

 

Como é possível uma empresa imobiliária, que tinha listas de espera imensas, entrar em falência? 

Neste caso, deveriam ser os gestores da EPUL a pagarem um bónus ao erário público.

 

 

M. Pinto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:46

Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

subscrever feeds